Como atravessar a ponte? E o excesso de bagagem?

Como atravessar a ponte? E o excesso de bagagem?-Atelie da Superação

Certo tempo atrás passei alguns dias fazendo um curso no Rio, dias intensos e como alguns mesmo falaram à época, saímos com excesso de bagagem.

Hã? Excesso de bagagem?

 

 

Como-atravessar-a-ponte?-E-o-excesso-de-bagagem?-Atelie-da-Superação

Sim! Era um curso para aprender mais um nível de técnicas para gerar transformação em pessoas e nesse curso eu pude entender que toda transformação começa dentro de nós mesmos, ou como chamamos lá “Home”.

Olhar para certas coisas nem sempre são fáceis e nessa minha jornada literal de travessia da Ponte Rio Niterói diariamente …

Percebia que a bagagem aumentava!

Autoconhecimento, auto perdão, reconhecimento, visão, coragem, histórias, vivências e profunda gratidão.

Em meio a tudo isso só perdi uma coisa: a voz! Kkk

Muitas vezes com a loucura do dia a dia não notamos o quanto a nossa saúde mental e espiritual impactam em nosso corpo e ao não conseguir dar um passo em um determinado exercício meu corpo automaticamente reagiu me tirando a minha voz.

Automaticamente anjos e fadas estavam ali por perto e me aconselharam a olhar para o que eu não estava falando e deveria falar.

Às vezes, a certa distância, a vida das pessoas que nos inspiram podem parecer perfeitas e que eles nunca falham…

Mas isso definitivamente não é verdade!

Todos somos seres humanos imperfeitos a única diferença é que com aprendizados e em estágios diferenciados.

Nossa família de origem e as experiências que tivemos ao longo da vida é que muitas vezes direcionam as nossas rotas.

A travessia da ponte é uma escolha diária! E a bagagem que você irá carregar também!

Por isso, deixo aqui 2 dicas para que esse processo seja cada vez mais consciente.

Primeiro: crie o hábito de se observar, observar as reações e a forma de pensar e falar sobre as coisas.

Se conseguir escrever sobre isso ocasionalmente, melhor ainda!

Segundo: Olhe para uma pessoa que só o jeito dela andar já te irrita e faça as seguintes perguntas quando comparada com uma que você ama.

Três características principais da pessoa que você ama, na outra coluna coloque as três características de uma pessoa que te irrita.

O próximo passo é: escrever abaixo da primeira coluna:

Gosto de mim mesmo quando sou….

Já abaixo da segunda coluna escreva:

Não gosto de mim mesmo quando sou…

E ae? Se surpreendeu com o resultado?

E deixo como frase final uma das filosofias do Aikido

“Aquilo que eu conheço é trabalhável”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *