Feliz hábitos velhos

Feliz hábitos velhos

 

Virada do ano se aproximando… 

Como de costume, começamos a escutar as promessas de um ano diferente. Mudanças de comportamento, mudanças dos hábitos alimentares e por aí vai.

O que muitos não comentam é que poucos são os hábitos que realmente são mudados.

Aprendi que para toda jornada temos que seguir alguns passos, sendo o primeiro deles a CLAREZA. Saber o que queremos encontrar ao final da rota que calculamos é essencial para que a gente possa definir qual é o CAMINHO que vamos percorrer.

O universo tem infinitas possibilidades, você precisa escolher por qual delas irá caminhar. Uma vez definido o caminho, agora podemos começar a CAMINHADA. No meu mundo, o movimento é pressuposto de qualquer processo de evolução. Dar um passo, por menor que ele seja, já não te deixa mais no mesmo lugar.

Iniciada a caminhada, começa a surgir a adversidade.

Desafios não previstos surgem ou mesmo nos deparamos com situações que eram previstas, mas ficamos na dúvida de como continuar.

 

Nesse momento, surge a famigerada CONSISTÊNCIA… Como ela é danada… Parece que tudo começa a acontecer para nos tirar do caminho escolhido e nessa hora precisamos entender que os ajustes na rota fazem parte do processo, desde que a gente continue sabendo para onde quer ir.

Pelo que acompanho na minha trajetória e na trajetória daqueles que já passaram por processos de coaching comigo, este é um grande desafio, pois quando olhamos já voltamos aos velhos hábitos.

Estudos indicam que para um novo habito ser introduzido precisamos de, no mínimo, 66 (sessenta e seis) dias para consolidá-lo em nossas vidas.

Por isso que o mês de fevereiro é conhecido como o mês das quebras de promessa entre aqueles que estudam mudanças de hábito e a alta performance como um estilo de vida.

O que antes era algo que não gostávamos e não tínhamos consciência, vai para o nosso consciente, porém a realização no começo é de forma racional e programada (competência consciente), esta mudança realmente estará consolidada em nossas vidas quando ela se tornar algo que você faça e nem perceba mais que está fazendo (competência inconsciente).

A partir deste ponto temos a CONQUISTA& #8230;

Uau! Como é bom alcançar aquilo que visualizamos… Celebre! Celebre cada conquista!

Esta é a parte essencial do processo, pois podemos nos esquecer de que o marco foi alcançado e que agora novos marcos serão marcados.

Por fim, não se esqueça de durante toda esta trajetória verificar se tudo que está sendo feito está alinhado com a pessoa que você quer se tornar.

O grande desafio dos tempos modernos é realmente filtrar aquilo que faz sentido na sua caminhada, por isso sempre esteja atento aos pequenos sinais… Se existe dor, existe algo a se observar.

Acredito que o desconforto e a dor fazem parte do processo de crescimento, mas como vamos lidar com eles é uma escolha nossa, por isso vale sempre observar e se perguntar: o que esta dor está querendo me dizer?

Que este novo ciclo que se inicia reforce os hábitos que devem ser reforçados e que possam ser criados novos hábitos que auxiliem nessa jornada chamada vida.

 

Fonte: www.eusemfronteiras.com.br

Artigo: https://www.eusemfronteiras.com.br/feliz-habitos-velhos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *