Comunicação e a bendita da paciência!

Uma das grandes fontes de estress e dificuldade no mundo corporativo (e provavelmente em todos os outros mundos) é a bendita da comunicação.

O indivíduo A fala X, já o indivíduo B entende Y ou, ainda pior, HÁ UMA TREMENDA FALHA NA COMUNICAÇÃO.

Aiiiii a jurupoca piou, como diria minha falecida vozinha…

Com a rotina insana que muitas vezes vivemos, a capacidade de reduzir a velocidade do pensamento para retomar um assunto que já estava em andamento com outra área ou mesmo enfrentar as particularidades de dias difíceis (que eu, você e todo ser humano da face da terra têm) é algo que muitas vezes se torna extremamente complicado e acaba causando incidentes que poderiam ter sido evitados.

Há uns dois anos atrás ouvi pela primeira vez a expressão “comunicação não violenta”. Meu cérebro automaticamente (e em fração de segundos) descartou isso como algo que não fazia nenhum sentido.

No ano seguinte ao reencontrar uma amiga que não via há 5 anos começamos a rir das nossas confusões e histórias.

E de repente…ela me diz: “ Thais! Você tem que fazer um curso de CNV (vulgo comunicação não violenta) eu fiz, nós somos parecidas…isso vai mudar a sua vida!”

Como eu já estava atuando muito fortemente no meu processo de autoconhecimento eu consegui controlar meu ímpeto de dizer a ela que eu era super pacifica, que não tinha nada de violenta…kkk… e falei: okay…quais referencias você me indica?

Anotei tudo e me organizei para olhar para este assunto e depois que eu comecei a ver…pasmem que meu queixo caiu!

Eu pensei em quanta confusão eu poderia ter evitado em minha vida se simplesmente tivesse conhecimento disso e tentasse exercitar os 4 passos.

Pior é que vejo que muitas pessoas acabam se desmotivando da profissão ou mesmo da empresa que estão porque se desgastam muito na forma de se comunicar e criam uma insatisfação, associada à uma frustração, sem falar nos conflitos entre áreas e pessoas que ficam pairando no ar.

Você algum dia tinha parado para pensar nisso?

Por isso, fica aqui a minha dica para a próxima vez que você se perceber em uma situação que a comunicação será essencial para o seu sucesso:

1º OBSERVE

Se questione, você está realmente observando ou já está interpretando o que está ocorrendo ao seu redor?

Por exemplo, o que você vê nesta imagem?

 

 Um casal brigando?

Um casal comemorando?

Um casal gritando?

Tudoooo isso é interpretação!

Você vê nesta imagem um homem com camiseta regata na cor branca com o rosto encostado no rosto de uma mulher loira e etc….

Consegue perceber a diferença?

2º SINTA

Você já parou para pensar no que é um sentimento e o que é um pseudosentimento?

Ex 1: Fiquei chateada com meu marido hoje

Ex 2: Sinto que sou ameaçada neste lugar.

Sentimento é algo direto, é algo que EU ESTOU … estamos falando de um sentimento, sempre que ouvir a necessidade de uma justificativa e/ou explicação estamos falando de pseudosentimentos, PORQUE EU …

3º QUAL É A NECESSIDADE

Nesta etapa devemos refletir se a linguagem está associada a um pedido ou se estamos reclamando, culpando ou fazendo algo diferente de realmente falar o que necessitamos.

4º QUAL É O PEDIDO

Por fim, temos que ser claros em nossos pedidos, temos o habito de realizar pedidos vagos e acreditar que as pessoas entenderam realmente as nossas necessidades e isso nem sempre é verdade e por consequência gera inúmeras confusões e falhas de comunicação.

Por isso, sempre que puder seja específico em seu pedido. 

Espero que goste e depois me escreve contando como foi, pode ser?

Beijos e abraços,

Thais Lima

Coach e Mentora

 *As opiniões ou os comentários aqui manifestados não representam as opiniões ou posições da BM&FBOVESPA.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *