Você está atento aos momentos que são decisivos?

Você está atento aos momentos que são decisivos? – Atelie da Superação

Você está atento aos momentos que são decisivos? - Atelie da Superação

 

Ás vezes me pego pensando sobre momentos que foram decisivos em minha vida.

Como foi o processo de percepção sobre o que estava acontecendo.

 

 

O que sentia?

O que eu pensava?

Quais reações eu tinha?

Engraçado que até pouco tempo eu nunca tinha dedicado um tempo para colocar a minha atenção nisso, mas este ano, depois de tantos aprendizados no ano de 2016 eu resolvi jogar luz nesta questão.

Fazer ela de forma mais consciente, sabe?

Fiz isto porque percebi que meu cérebro efetivamente desconsiderou algumas coisas.

Na maior parte do tempo minha tendência foi sempre ficar atenta às dores, aos medos e a tudo que eu achava que deveria ficar alerta para quando esses momentos voltasse a ocorrer.

Contudo, hoje percebo como deixei de aproveitar momentos bons que surgiram nestas fases.

Com consciência

Hoje, com consciência para o momento que vivi me lembro dos dia que sentia medo e completamente perdida, mas também olho para o que construí de bom.

Minha parceria com o meu marido era forte, mas depois de tudo ela ainda cresceu de uma forma que nunca imaginei que fosse possível.

Eu acreditava que me conhecia, mas hoje sei que acessei partes da minha essência que sequer sabia que existiam.

Resgatei memórias, sensações que a origem era totalmente desconhecida e que impactava, e muito, na pessoa que era.

Não posso dizer que o processo foi fácil ou mesmo que não me senti insegura ou questionei onde queria chegar com tudo aquilo.

Também não posso dizer que este processo acabou e que não existirão outros momentos de descoberta e revelação na minha vida.

Afinal, até o nosso último dia de vida estaremos construindo a nossa história e descobrindo mais sobre nós mesmos.

Esta não é uma das graças da vida?

Somos e sempre seremos trabalhados em camadas… e ao tirar uma teremos acesso a outra, depois a outra, e assim sucessivamente.

Por isso, se desafie, se questione, descubra o que realmente está por trás desse medo, o que causa a insatisfação.

A responsabilidade é minha, é sua, é nossa!

E se você acredita que está atento compartilha aqui as suas técnicas e formas de se observar.

Curtidas e compartilhamentos para que esse artigo fez sentido, serão muito bem vindos! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *